Mulher paga café para um mendigo na rua. Quando ele vai embora, deixa um bilhete assustador!

Postado por: Emerson ozueira
 
O homem perambulava pelas ruas batendo nas janelas dos outros. Casey o observou um momento e continuou seu caminho até uma cafeteria que ficava na outra esquina. Esperou na fila, fez seu pedido habitual e se sentou em uma das mesas. Então, viu novamente o homem.

“Ele estava de pé e olhava os preços. Eu o vi contar as medas que ele tinha conseguido na rua, para ver se conseguia comprar algo. Então eu cheguei perto e comecei a conversar. De começo ele foi bem frio, creio que tenha sido porque ninguém nunca conversava com ele. Não sei o que me levou à fazer aquilo, mas foi um impulso, algo assim. Lhe ofereci um café com torradas e ele aceitou de imediato.” Casey continuou conversando com o mendigo por um bom tempo, ele lhe fazia perguntas e ela respondia com animação.

O homem estava bem sujo e tinha toda sua roupa envelhecida, falava em voz baixa e assustado. “Me contou que seu 

pai o havia abandonado ao nascer e que sua mãe morreu pouco tempo disso, vítima de um câncer. A história era terrível e eu me angustiei muito. Mas ele desfrutava de seu café como se não tivesse tomado um há anos.” O mendigo admitiu que a única coisa que ele queria em sua vida era poder dar orgulho para sua mãe. “Não consegui”, disse entristecido. “Realmente não sei porque ofereci o café da manhã, desconheço as razões que me motive a falar com você. Isso me gera muitas curiosidades”, assegurou Casey.

Depois de mais de uma hora de conversa, ela se deu conta que estava atrasada para sua aula.“Tenho que ir”, disse e se despediu do novo amigo. O mendigo percebeu que o carinho que ela o havia oferecido era muito sincero. Enquanto chorava, entregou um bilhete com um recado. Deixou na mãe da moça e foi embora. Ao ler o que dizia no papel, Casey ficou paralisada. “Hoje eu ia me matar, mas graças à você eu não farei isso. Eu agradeço, você é uma pessoa linda

Morro solteiro(a), mas não passo por isso...

Postado por: Emerson ozueira

PERGUNTAS IDIOTAS

Postado por: Emerson ozueira

por que eu me casei com esta mulher?

Postado por: Emerson ozueira
         perolas-whatsapp-maio-4

Pra que serve o lado azul da borracha?

Postado por: Emerson ozueira
Quem nunca tentou apagar   o lado azul da borracha? Com toda certeza, todo mundo já tentou fazer esse procedimento. E claro, não deu certo e o papel acabou rasgado no final. Bom, mas já que não apaga tinta de caneta, então pra que serve esse tão misterioso “lado azul da borracha”? Bom temos duas explicações para essa dúvida cruel. Vamos lá: 

Ele realmente foi fabricado com o objetivo de apagar caneta 

Sim, o lado azul foi desenvolvido para esse objetivo – mas meio que não deu certo. Ele foi muito usado no marketing, justamente pelo fato de apagar tinta de caneta ser algo difícil, principalmente no papel. O lado azul foi pensado para raspar a tinta do papel, e realmente funciona – não de modo eficaz, mas funciona. Só que existe um porém: em papel fino nunca dará certo, talvez funcione em uma cartolina, já que o material da cartolina é muito mais grosso que um papel normal. 
O lado laranja serve para apagar coisas em papéis finos e o lado azul em papéis grossos 

O lado azul não foi só feito para apagar tinta de caneta, mas também para realizar trabalhos mais pesados. O segundo objetivo foi criar uma borracha com dois tipos de texturas, justamente para fazer o que citamos na última frase. Pense bem, você está escrevendo em u, papel extramente fino, se você apagar com o lado azul, ele possivelmente vai rasgar. E é pra isso que foi desenvolvido o lado laranja, que é muito mais macio. Outra coisa que foi pensada, é que o lado azul serve para tirar as manchas que o lado laranja deixa ao apagar algo. 

E aí? Qual explicação você acha que mais condiz para definição do lado azul da borracha? Bom, nós acreditamos que foi feito para fazer todos esses objetivos.
Via Blogando Ciências

Parece um caminho normal, mas veja o que acontece todos os dias

Postado por: Emerson ozueira
A água cobre essa estrada duas vezes por dia. A Passagem de Gois é uma estrada que atravessa o fundo de uma baía que liga a França continental à ilha de Noirmoutier. Duas vezes por dia, quando a maré abaixa por um par de horas, é possível andar ou dirigir sobre a estrada. No resto do tempo, a passagem fica coberta sob quatro metros de água.
A transição natural entre a ilha e o continente, atuando na maré baixa, foi pela primeira vez marcada no mapa em 1701. Em 1840, foi construída uma estrada de paralelepípedos, o que permitiu a passagem de carroças. Agora, o comprimento da estrada é de 4,5 km.
Ambos os lados da estrada contém avisos que indicam a hora exata em que a maré sobe e abaixa, para evitar que pessoas distraídas sejam levadas pelo mar. Mas muitos não conseguem adivinhar a velocidade com que as águas sobem, por isso há pequenas torres onde as pessoas podem subir até que a maré abaixe novamente ou consiga ajuda.