O PASSADO SEXUAL CONDENA (OS INSEGUROS) Li e gostei

Postado por: ozueira Gamer

                              Este poste não e meu li e gostei estou apenas compartilhando!
                                  Fonte:http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/

Num post qualquer, um mascu qualquer deixou a seguinte observação (tudo sic): 

"Lola, será que os tais homens, que vc diz, aceitam se relacionar com uma mulher 'experiente' somente por que hoje em dia a maioria é 'experiente'. Você não acha mesmo que a maioria dos homens realmente gostam de namorar uma mulher ou até mesmo se casar com uma mulher 'experiente', acha? Pois alem do fato de hoje boa parte dos casamentos terminarem em divorcio e a mulé levar a casa os filhos e o dinheiro do homem, o medo de levar chifre (que tipo de boçal gosta de levar chifre) ou o medo de a mulher ser uma interesseira do caramba, eu duvido que qualquer homem goste de saber que sua mulher tem má fama (de bitch) entre os conhecidos, ou até de pensar que a esposa possa ser uma 'pervertida'? Vc acha mesmo que um homem escolheria uma mulher 'experiente' se tivesse a opção de ter uma mulher 'conservadora'?"
 


Minha resposta (tampouco entendo por que respondo a mentecaptos machistas): Não sei como pensam a maioria dos homens. Você sabe? Sei que vivemos num mundo machista, em que muitos homens ainda separam as mulheres entre santas e p*tas, entre mulheres pra transar e mulheres pra casar, como seu tataravô já fazia. Pra boa parte das mulheres, essa divisão é, além de ridícula, insuportável. Tipo: não me considero p*ta. Nem quando tive muitos parceiros, nem quando estou monogâmica, como nas últimas duas décadas. Mas também nunca me considerei santa. Não acredito nesses rótulos, e duvido muito que você consiga defini-los. O que é, afinal, uma mulher "rodada”? (argh, que termo horrível). Quantos parceiros a mulher precisa ter pra ser considerada promíscua por você? (update: mascus têm um cálculo científico para determinar mulher rodada). Quem morreu e te nomeou deus? 
E o que é uma mulher (ou um homem) experiente? É possível ter tido um parceiro só na vida e ter feito um montão de sexo com ele. Essa mulher não seria experiente? Essa também não serve pra você? Só virgem mesmo? E por que, se você exige uma mulher virgem, você não acha que você, como homem, deve ser virgem também? Tente responder essa pergunta sem recorrer a clichês como “homens e mulheres são diferentes” ou a mentiras absolutas como “mulher não gosta de sexo”. 
Sobre boa parte dos casamentos terminar em divórcio, é verdade. Parece que 50% terminam em divórcio. Parece também que em 80% dos casos quem pede o divórcio é a mulher. Ou seja, em geral é ela a parte descontente do casamento. Sobre a mulher levar casa, filhos e dinheiro do homem, sim, na maior parte dos casos a mulher fica com os filhos. Sabe por quê? Porque já era ela quem cuidava mais dos filhos antes do divórcio. Porque, na maior parte dos casos, os pais não querem ficar com os filhos. Porque o machismo (não o feminismo) diz que cuidar de criança é coisa de mulher. Daí a mulher fica com os filhos, que precisam de dinheiro para comer e viver. Por isso a pensão. 
A pensão só sustenta a mulher se a mulher não trabalhava antes (e muitas vezes não trabalhava antes porque tinha que cuidar dos filhos, ou porque o casal fez um acordo para que ela não trabalhasse, ou porque o marido não permitia que ela trabalhasse). Se o homem ficasse com os filhos, a mulher também teria que pagar pensão. Não pra ele, mas pros filhos. E a casa não fica pra mulher. Se o casal casou em comunhão parcial de bens (90% dos casamentos no Brasil adotam esse sistema), considera-se que tudo que foi adquirido desde que o casal se juntou será dividido. Se a casa era da mulher ou do homem antes do casamento, esse bem continua sendo só daquela pessoa. Ou seja, você está mal-informadinho, hein? De onde você vem tirando essas informações, do DataFoda-se ou do Instituto de Pesquisa Mascu As Vozes me Disseram? E o que isso tem a ver com mulheres com muitos parceiros?
Sério, o que é “má fama”? Ter feito sexo com vários parceiros dá má fama? Numa sociedade machista, dá -- se você é mulher. Nós trabalhamos pra mudar essa mentalidade absurda. Vcs trabalham para perpetuá-la, quando não há lógica nenhuma nisso. Seria um mundo melhor pra tod@s se fazer sexo ou não fazer sexo não desse boa ou má fama a ninguém. Se sexo fosse uma coisa tão natural, tão bonita, tão legal, que nenhuma pessoa ficasse mal falada por fazê-lo. Não acha? 
Não entendo a obsessão que vocês têm pelo passado da mulher. Um conhecido ditado machista é “Passado de mulher é igual a restaurante: se você conhecer, você não come”. 
Lindo, né? Mas o que o passado de alguém diz sobre a pessoa? Bom, eu acho que não perdoaria e, consequentemente, não aceitaria como parceiro, um homem que estuprou alguém. Mas um homem que fez sexo com cem mulheres? E daí? Ele fez, não está fazendo (isso se quisermos um relacionamento monogâmico, que está longe de ser a única alternativa). Mas ninguém está falando de homem. É a mulher que não é de confiança. É o corpo e a sexualidade da mulher que devem ser controlados e punidos a qualquer custo. Ignorar esse controle, que é feito há milênios, é bem desonesto. E além do mais, vcs caem em contradições o tempo todo. Afinal, segundo vcs (e só vcs), mulher não gosta de sexo. Então por que tanta obsessão em controlar a vida sexual da mulher?
É por isso que falamos em padrão duplo quando falamos em sexualidade. O que é aceito no comportamento sexual de um homem não é o que é aceito de uma mulher. Tem muito homem que considera a mulher “imprestável”, vadia, promíscua, se ela tiver tido cinco parceiros. Sabe, na vida

Lembro bem de uma amiga minha, linda, inteligente, solteira. Ela tinha 35 anos quando conheceu um cara de sua idade que parecia interessante o suficiente pra casar (não que ela não tivesse conhecido outros caras interessantes antes). Só que o cara estava obcecado em descobrir o passado da minha amiga. Ela tinha 35 anos, ele também. O que ele esperava, que ela fosse virgem?! Se ela teve um parceiro por ano (um por ano! Super monogâmica!) dos, digamos, 17 anos (que parece ser a média com que as brasileiras têm sua primeira relação sexual) aos 35 anos, teriam sido dezoito parceiros ao todo! Puxa, que vadia! Foi um desfile de homem que passou pela cama dela! 
Se fossem dezoito homens, teriam sido 18 homens que provavelmente o noivo atual nunca conheceria, ou vamos supor que conhecesse um deles: seria tão traumático cumprimentar um sujeito que, cinco anos atrás, transou com a sua noiva? Pô, ela deve ter tomado banho de lá pra cá! O carinha tinha um ciúme tão irracional do passado dessa minha amiga que eles passaram a brigar, e eventualmente terminaram o noivado. Eu só pude cumprimentá-la. Se o cara sentia ciúme do seu passado, imagina o ciúme doentio que sentiria do seu presente? Quiéisso, a mulher tem que ser fiel retroativamente? Tem que ser fiel a vc antes de saber que vc existe? Eu hein, parece coisa de O Exterminador do Futuro! Sujeitos como o ex-noivo da minha amiga são perigosos, veem mulher como posse. São esses que matam a mulher pra “limpar sua honra”. 
Se mascus pregam o “desapego” e a indiferença (ou seja, não se apegar a nenhuma mulher, em suma, nunca se apaixonar), por que insistem em se apegar ao passado da mulher? Quanto o passado de uma pessoa vai afetar a sua vida? Isso vale pros dois lados, tanto pra quem teve muitos parceiros quanto pra quem não teve nenhum. Um homem ou uma mulher virgem que se relaciona com alguém pode ter dificuldades nas primeiras vezes, mas sexo não é Física Quântica, é? Com paciência, sabendo captar os sinais do outro, conversando, enfim, com um mínimo de intimidade, supera-se a falta de experiência.
Mas a ignorância em separar mulheres em santas e p*tas, em perpetuar um padrão duplo (homem com muitas parceiras = garanhão; mulher com muitos parceiros = vadia), em condenar pessoas pelo seu passado sexual -- isso parece ser insuperável para os que pararam na década de 50. Quando nem tinham nascido.

Comentários:

0 comentários:

Postar um comentário