12 coisas feitas por brasileiros que dá pena de morte na Coréia do Norte

Postado por: ozueira Gamer
Existem algumas coisas (para não falar várias) que nós, brasileiros, fazemos e que, em outros países, é totalmente proibido. Inclusive, algumas dessas coisas podem levar até a pena de morte. Como é o caso da Coréia do Norte. Confira uma lista com 12 coisas que são feitas por brasileiros que podem dar pena de morte na Coréia do Norte e surpreenda-se:
12 coisas feitas por brasileiros que dá pena de morte na Coréia do Norte
1. Usar calça jeans não é permitido, pois o tecido representa o “imperialismo ocidental”.
2. Os cidadãos devem escolher um dos 28 cortes de cabelo permitidos pelo governo. Nada de inovação ou cores.
3. Beber bebidas alcoólicas em certos períodos pode levar à morte. Um militar foi executado por consumir bebida alcoólica em um período de luto de 100 dias.
4. Assistir a programas de TV não permitidos pelo governo já levou a execuções públicas.
5. Dirigir também pode trazer sérios problemas, pois somente os oficiais de Estado podem ter carros.
12 coisas feitas por brasileiros que dá pena de morte na Coréia do Norte
6. As músicas só são permitidas se estiverem enaltecendo o ditador Kim Jong-Un.
7. Manter contato com pessoas de outros países será punido com a morte. Em 2007, um homem foi fuzilado publicamente por ter realizado muitas chamadas internacionais.
8. Ter uma opinião contrária ao governo é algo grave, devendo a pena ser cumprida nos gulags, que são campos de trabalho forçado.
9. Sair do país também não é permitido, e a pessoa ainda poderá ser caçada e punida.
10. Manifestar qualquer tipo de religião não aprovada pelo governo pode trazer sérios problemas. Mais de 80 cristãos foram mortos por se reunirem em oração.
11. Assistir ou disponibilizar conteúdo adulto é punido com a morte.
12. Conectar-se à internet também não é permitido, e nem é possível, já que o país não possui conexão à rede mundial. Apenas os líderes do governo podem se conectar, podendo os demais cidadãos apenas acessar uma intranet com sites do governo.

Comentários:

0 comentários:

Postar um comentário